Glêdson e sindicato travam queda de braço com nova greve à vista

Prefeito Glêdson Bezerra - Foto: Reprodução/ Facebook
Prefeito Glêdson Bezerra - Foto: Reprodução/ Facebook

O prefeito Glêdson Bezerra (Podemos) e o Sindicato dos Servidores Municipais de Juazeiro do Norte iniciaram uma queda de braço que já resultou na deflagração de greve para os servidores da Saúde, prevista para ser iniciada em 3 de janeiro. A entidade reivindica a implantação do adicional de insalubridade, criação de gratificação de desempenho, além da redução das jornadas de trabalho para psicólogos e enfermeiros.

“O governo Glêdson Bezerra tem dinheiro, tem espaço fiscal. Com austeridade que o governo tem com os servidores efetivos, está reduzindo gastos com pessoal, tá gastando menos de 54% dos recursos com salário. Não tem motivo para não atender as pautas”, disse o presidente do sindicato, Marcelo Alves, em entrevista à Tempo FM, nesta quinta-feira (16.dez.2021).

O chefe do Executivo municipal, por sua vez, alega o contrário, e diz não possuir espaço fiscal para atender as reivindicações da categoria. Glêdson assegura que o Município já atingiu o teto de 54% de gastos com folha de pagamento, limite previsto na Lei de Responsabilidade Fiscal.

“Se eu estourar isso o município fica negativado, deixo de receber emendas e transferências voluntárias. Quem perde é a população, que deixa de ter o recurso para investir no Município. Como é que eu vou dar o que eles estão pedindo agora?”, disse o prefeito à mesma emissora. Em tom de desabafo, Glêdson ainda desafiou: “Prove onde pode aumentar [a folha de pagamento]. Eu estou lançando o desafio”, acrescentou.

|
 Quer ficar por dentro das principais notícias do dia? Siga-nos no FACEBOOK e INSTAGRAM!

Postar um comentário

0 Comentários