Câmara de Vereadores do Crato
Câmara de Vereadores do Crato - Foto: Reprodução/ Redes sociais

Na Câmara do Crato, vereadores da base do prefeito Zé Ailton Brasil (PT) subiram o tom contra o secretário municipal de Infraestrutura, Ítalo Samuel, na sessão desta segunda-feira (6.dez.2021). Parlamentares alegam que o secretário tem rejeitado ligações e ignorado requerimentos.

As críticas partiram de Lourdes de Carlim (PT). Ela afirmou que procurou o secretário inúmeras vezes a fim de solucionar um buraco em frente a sua casa, na zona rural do Crato. Em tom de desabafo, ela disse que tem sido alvo de chacota por ser da base do prefeito e não conseguir resolver o problema.

“Passou dos limites, não dá mais para esperar. Será que vai ser preciso a imprensa ir lá? Nossos adversários ficam criticando. Aquele buraco já está virando chacota, e eu não vou suportar chacota. Eu tenho que ser uma mulher respeitada. Eu sou da base, mas não sou cega, nem muda, e nem surda”, desabafou.

Marquim do Povão (MDB) também se queixou da falta de comunicação com Ítalo Samuel. Ele relatou que parte do muro do estádio Mirandão desabou após uma chuva. O parlamentar disse que tentou comunicar o secretário, por telefone, mas suas ligações não foram atendidas, muito menos retornadas.

Raimundo Nonato (PMN), por sua vez, disse que o secretário tem sido seletivo para atender os requerimentos dos parlamentares. Ele se queixou de ter feito um requerimento similar ao de Mateus Leite (PSB). Embora tenha feito o pedido primeiro, Nonato não recebeu resposta, enquanto Leite foi atendido.

Em manifestação de apoio aos colegas, o presidente da Casa, vereador Florisval Coriolano (PRTB), disse que Zé Ailton orientou seu secretariado a atender as ligações dos 19 vereadores, mas, na prática, alguns secretários têm ignorado as instruções do próprio prefeito.

“Secretário tá vendo a ligação do vereador e não atende? Isso é um absurdo! Deixo o meu repúdio. Eu não sei por que o secretário não segue as orientações do prefeito”, questionou.

Sobre as queixas de Raimundo Nonato, sugeriu que o parlamentar acione a Procuradoria da Câmara. Ele lembrou que, conforme prevê a Lei Orgânica do Município, secretários municipais têm o prazo de 15 dias para responder requerimentos aprovados na Câmara de Vereadores.

“O prefeito tem até 15 dias, com seus secretários, para responder [os requerimentos]. Não fazendo, está desobedecendo uma lei”, alertou Florisval.

Assista ao desabafo da vereadora Lourdes de Carlim:


| Fique por dentro das principais notícias do dia! Siga-nos no FACEBOOK e INSTAGRAM!