Cara a cara, Capitão Vieira alerta Glêdson sobre Idab: “Tomar uma providência enérgica”

Glêdson Bezerra e Capitão Vieira Neto
Glêdson Bezerra e Capitão Vieira Neto - Foto: Reprodução/ YouTube
A audiência pública realizada nesta segunda-feira (24.mai.2021), na Câmara Municipal de Juazeiro do Norte, estava previamente reservada para a discussão da ‘lei das 30 horas’, mas, em certos momentos, pautou as denúncias contra a Organização Social (OS) Instituto Diva Alves do Brasil (Idab), responsável pela gestão do Hospital São Lucas e UPA do Limoeiro.

As denúncias contra a OS são corriqueiras nas sessões da Câmara Municipal. Com a presença do prefeito Glêdson Bezerra (Podemos) na audiência, o vereador Capitão Vieira Neto (PTB) aproveitou a oportunidade para alertá-lo a respeito de supostas irregularidades cometidas pela Idab na compra de remédios e na contratação de serviços.

“Prefeito, as irregularidades na UPA com relação a Idab são enormes, são gigantes. Pagamentos irregulares de médicos e funcionários. Se o senhor for um prefeito como foi um vereador aqui [na Câmara] o senhor vai tomar uma providência enérgica com relação a Idab”, aconselhou.



Embora de lados opostos, Vieira Neto recebeu o apoio do vice-prefeito Giovanni Sampaio (PSD), que classificou a OS como ‘empresinha’. Sampaio ainda deu um conselho à secretária de Saúde, Francimones Albuquerque: “O Capitão [Vieira] tem razão, Francimones. Vamos acochar, vamos pra cima, o que tiver de errado entregar ao Ministério Público”.



Glêdson, por sua vez, anunciou que já tomou providências a respeito das denúncias contra a empresa licitada. O prefeito revelou a abertura de um processo administrativo e que já entregou uma cópia das irregularidades encontradas ao Ministério Público Federal (MPF).

“Se [a Idab] não se adequar ao que está proposto no contrato, rua! Vai pra rua! Estamos abrindo processo administrativo, já foram notificados. Vamos abrir espaço para eles se defenderem. Deu certo, continua. Não deu certo, vamos buscar uma alternativa. Vamos discutir tudo junto com o Ministério Público, com a polícia, com qualquer órgão de controle”, disse o prefeito.



LEIA TAMBÉM:
Glêdson vai à Câmara justificar não aplicação da ‘lei das 30 horas’, mas sindicato ameaça greve
Pedro Bezerra, Fernando Santana e Rafael Branco avaliam retorno das vaquejadas

| Receba as últimas do EmOFF direto no seu WhatsApp! Peça a inclusão do seu número em nossa lista de transmissão.

Postar um comentário

0 Comentários