Capitão Vieira e Wilson Melo travam bate-boca, troca de acusações e até ameaça de processo


Wilson Melo e Capitão Vieira Neto
Wilson Melo e Capitão Vieira Neto -  Fotos: Reprodução e Josimar Segundo
O ouvidor e controlador geral do Município, Wilson Melo, atendeu nesta quinta-feira (27.mai.2021) à convocação da Câmara Municipal de Juazeiro do Norte a fim de esclarecer supostas irregularidades em contratos na Saúde. A sabatina, que durou mais duas horas, foi marcada por embates acalorados entre o secretário e, principalmente, o vereador Capitão Vieira Neto (PTB).

Embora não estivesse na pauta da convocação, o áudio em que Melo afirmara que existe uma “ação orquestrada” contra a administração municipal voltou à tona. A gravação foi instigada pelo presidente da Casa, vereador Darlan Lobo (PTB), que aqueceu os embates ao afirmar que o ouvidor atacou a oposição de uma maneira “deselegante e covarde”.

LEIA TAMBÉM:
 Em resposta a Wilson Melo, Vieira Neto alfineta: “Babão não ajuda, babão atrapalha”

Em suas primeiras palavras, Melo disse que estava sendo alvo de um “massacre inicial” e se limitou a dizer que o assunto deveria ser tratado na esfera jurídica. “Essa seara deveria ser discutida na Justiça se os senhores tiverem convicção que eu os chamei de corruptos. Se eu tivesse direcionado isso aos vereadores eu não estaria aqui, eu estaria sendo interpelado judicialmente”, disse.

Os vereadores insistiram no assunto e exigiram um pedido de desculpas. Melo sequer recebeu apoio de parlamentares da base do prefeito Glêdson Bezerra (Podemos). Alguns deles até aconselharam o ouvidor a se policiar nas redes sociais. Pressionado, o secretário alegou que as mensagens não foram direcionadas à Câmara e pediu desculpas apenas à vereadora Jacqueline Gouveia (Republicanos).




Denúncias contra a Idab

Na Tribuna, Melo disse ter em posse uma auditoria dos contratos da Prefeitura de Juazeiro do Norte com a Organização Social (OS) Diva Alves do Brasil (Idab). A empresa gere o Hospital São Lucas e a UPA do Limoeiro. Ele afirmou que há um processo administrativo contra a OS e que o Ministério Público Federal (MPF) e à Polícia Federal (PF) estão cientes das denúncias.

“Nós estamos fazendo alguma coisa, mas estamos fazendo tudo dentro do parâmetro legal. Não estamos atropelando para amanhã não sermos atropelados”, disse o ouvidor.

Os esclarecimentos, porém, não satisfizeram os questionamentos do vereador Capitão Vieira Neto (PTB), que chamou o ouvidor de mentiroso em duas oportunidades. “Deixa de mentira, secretário”, disse Vieira Neto ao cobrar a apresentação do processo administrativo. Em resposta, Melo ameaçou: “Se não provar que eu menti, eu vou te processar”. 



 | Receba as últimas do EmOFF direto no seu WhatsApp! Peça a inclusão do seu número em nossa lista de transmissão.



Postar um comentário

0 Comentários