Senador Eduardo Girão
Eduardo Girão (Foto: Reprodução/ Facebook)
O senador Eduardo Girão (Podemos) conseguiu o mínimo de assinaturas necessárias para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado Federal. Até às 12h desta segunda-feira (12.abr.2021), pelo menos 34 senadores assinaram o pedido de CPI que estende a investigação, além da União, para estados e municípios. O número de assinaturas é superior ao pedido de CPI apresentado pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede).

Segundo o parlamentar cearense, o pedido foi apresentado no começo de março e ganhou força após a determinação do Supremo Tribunal Federal (STF) que exige a instalação de uma CPI para investigar as ações do Governo Federal no enfrentamento à pandemia. "Nós conseguimos o número suficiente de assinaturas para que a CPI seja ampla, independente e justa para investigar União, governadores e prefeitos", informou Girão.

"Com a determinação esdrúxula do STF invadindo a competência do Legislativo, governando o país, isso criou uma comoção nacional, as pessoas se indignaram e os senadores também. E ao invés de assinar a CPI de pessoas que pensam apenas na questão política e eleitoreira para 2022, porque se você foca apenas em um ente federado, você está focando em desgastar a imagem de apenas uma parte, que mandou centenas de bilhões de reais para estados e municípios", explicou o senador.

Como justificativa, o pedido de CPI de Girão apresenta denúncias que já surgiram contra governadores e prefeitos ao longo da pandemia, além dos casos de prisão e afastamento de gestores da saúde. Segundo o senador, "faltou transparência e sobrou desonestidade nos contratos firmados entre gestores públicos desonestos e a iniciativa privada”. "Espero que a verdade venha à tona, quem tá devendo vai ter que se justificar e quem errou vai ter que ser punido", afirmou.