Camilo ainda vê possibilidade da chapa Lula/Ciro: “Eles têm mais convergências do que divergências”

Camilo Santana, Ciro Gomes e Lula
Camilo Santana, Ciro Gomes e Lula (Foto 1 e 2: Reprodução/ Foto 3: Ricardo Stuckert)
O governador Camilo Santana (PT) relatou à IstoÉ o esforço que fizera para reunir o ex-presidente Lula (PT) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), em setembro do ano passado, em São Paulo. A finalidade do encontro, segundo ele, é arregimentar forças de centro-esquerda para “um caminho mais democrático” para antagonizar com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em 2022.

“Eu testemunhei esse encontro. Eles [Lula e Ciro] têm mais convergências do que divergências. São dois líderes importantes. Não dá para cada um agir sozinho. O projeto de País deverá estar acima de nomes, sem mágoas, sem vaidades e olhando para um horizonte de futuro. A briga das esquerdas e do centro só fortalecerá esse projeto extremista de poder em andamento”, afirmou Camilo.

A entrevista, conduzida pelo jornalista Eudes Lima, citou Camilo como “trunfo para uma possível reaproximação entre Lula e Ciro. Na prática, no entanto, Ciro se distancia do petismo e se aproxima do centro. Gomes é um dos signatários do manifesto a favor da democracia, documento que reuniu as assinaturas de João Doria (PSDB), Eduardo Leite (PSDB), Henrique Mandetta (DEM), João Amoedo (Novo) e Luciano Huck (sem partido).

LEIA TAMBÉM: Fernando Santana afirma que Camilo projeta candidatura ao Senado


Postar um comentário

0 Comentários