O senador Eduardo Girão (Foto: Ag. Senado)

Em pronunciamento na última quinta-feira (4.fev.2021), o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) defendeu a administração de medicamentos como hidroxicloroquina, cloroquina e ivermectina no chamado tratamento precoce contra a covid-19.

"Eu mesmo já estou tomando a ivermectina já faz algum tempo. Tenho rodado pelo meu Estado e pelo Brasil inteiro e graças a Deus tenho sido poupado", disse o senador.

Girão também relatou que o seu pai de 77 anos está fazendo uso do medicamento. "O médico aconselhou como prevenção. Ele foi infectado e sabe o que o médico disse? 'triplique a dose de ivermectina'. Ele teve covid, mas foi assintomático", afirmou.

"Não podemos fechar os olhos para os medicamentos que viraram realmente uma celeuma grande, uma briga ideológica, uma cegueira política, o que não é justo com a população", disse Girão. "Se há estudos que mostram a eficácia desses medicamentos, por que não falarmos sobre isso?  Já existem estudos profundos no Brasil e no exterior com resultados práticos", defendeu o senador cearense.

Girão disse ainda ser "a favor da vacina", mas se posicionou contra a obrigatoriedade, pois, segundo ele, cada cidadão deve decidir tomar ou não. Acrescentou também que, mesmo com o "tratamento precoce", todas as medidas protetoras contra o vírus não devem ser deixadas de lado pela população. O senador disse ser importante o uso de máscaras protetoras e de álcool em gel, além do distanciamento social, como métodos de prevenção contra a disseminação do novo coronavírus.