O prefeito Glêdson Bezerra (Podemos) permanece em silêncio após virem à tona polêmicas e pedidos de afastamento envolvendo secretários da nova gestão. Ele ainda não respondeu aos 15 vereadores que assinaram um pedido de afastamento dos secretários Diogo Machado (Meio Ambiente) e Francimones Rolim (Saúde). O titular das Finanças, Paulo André de Lima, que assumiu ter recebido parcelas do auxílio emergencial, também está na mira do grupo liderado pelo presidente da Câmara, Darlan Lobo. Sem resposta, Darlan ameaça acionar o Ministério Público Estadual (MPE), conforme consta no ofício enviado ao executivo no dia 7 de janeiro.