Conforme divulgado pela rádio Jovem Pan, o Patriota deve ser a nova caserna da tropa bolsonarista. A chegada do presidente à sigla – rejeitada por ele em 18 – pode atrair aliados que estão no PSL e joga uma pá de cal no sonhado Aliança Pelo Brasil.

No Cariri, o partido está inoperante e enfraquecido. Nas três cidades que formam o triângulo Crajubar, a sigla não lançou nem um candidato a vereador nas últimas eleições municipais. O partido soma 383 filiados com situação regular, segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Juazeiro tem 210, Crato 124, e Barbalha 49 filiados à legenda. Em Juazeiro, o partido é dirigido pelo professor Valter Brasil.

O Patriota deve acolher parlamentares ligados a Bolsonaro no Ceará. Os deputados estaduais André Fernandes e Delegado Cavalcante, ambos do PSL, devem puxar a fila. Por ora, eles permanecem em standby aguardando a abertura da janela partidária.